Última parada em nossa primeira roadtrip pelo nordeste brasileiro, o Rio Grande do Norte.
Chegamos cheios de expectativa e um pouco de medo (nosso maior receio era saber se ainda conseguiríamos nos surpreender depois de viajar pelos lindos estados de Pernambuco e Paraíba).

Nossa primeira parada já foi um choque, Pipa.
Claro que as falésias, os golfinhos e um empurrãozinho da Globo trouxeram a popularidade ao destino, que atrai milhares de pessoas. Esperávamos por isso, mas o que encontramos foi uma praia muito mais cheia do que as praias centrais de São Paulo e um assédio muito grande dos profissionais do turismo oferecendo seus passeios de barco e opções de restaurantes, um pouco desgastante 🙁 .

Para ter um pouco de tranquilidade só indo até a Praia do Coração e ao Chapadão.
Foi o que fizemos em uma caminhada pela areia, melhor decisão 😀 .

Voltamos para almoçar no centro e encontramos boas e baratas opções comparadas ao preço dos quiosques na beira mar, pagamos apenas R$15 cada, para comer a vontade (ponto positivo 😛 ).

De lá seguimos para a vizinha, Tibau do Sul onde assistimos o final de tarde mais lindo.

Já era noite quando pegamos a estrada e dirigimos muito até Ponta Negra.
O dia seguinte foi bem gasto passeando pela orla da capital e depois Dunas de Genipabu.
Podemos dizer com propriedade que andar nas dunas móveis com emoção foi a melhor e a pior opção que fizemos nessa viagem hahaha, sério, é tipo andar numa montanha russa, só que sem as travas de segurança 😛 .

Em nosso terceiro e último dia decidimos subir mais 300 quilômetros ao norte para conhecer São Miguel do Gostoso, paraíso que promete ser a nova Jericoacoara do nordeste em breve.

O que encontramos lá foi um vilarejo pacato, com menos estrutura, mais natureza e preços bem mais acessíveis. Locamos dois quadriciclos e andamos por duas horas na praia praticamente só para nós.

No quarto dia tínhamos que voltar para Recife, mas como nosso voo só partia a tarde decidimos fazer uma parada no Maior Cajueiro do Mundo (atestado pelo Guinness Book).
Valeu a pena já que estava no nosso caminho.

Deixamos o estado potiguar com muito amor no coração, ótimas recordações.
Certamente iremos voltar um dia.

Para quem planeja essa viagem, considere:
– Existem voos saindo direto de São Paulo (e ótimas promoções);
– Comer na orla pode ser caro mas você encontra boas opções ($) bairro adentro;
– Gasolina é bem mais cara do que no sudeste;
– As estradas estavam em ótimo estado (em 2016);
– Não há pedágio no trecho da BR101 que corta o estado (em 2016);
– O passeio de buggy custou R$220 para os dois (em 2016);
– Mais detalhes do trajeto aqui fizemos e nossas opções de hospedagem estão nesse post.

Espero que tenha gostado do post.
Nos vemos na estrada 🙂 .