Santiago é a capital e a maior cidade do Chile. Abrigando os principais organismos governamentais, financeiros, administrativos, comerciais e culturais do país, está localizada – nada mais e nada menos do que – ao lado da cordilheira dos Andes, no Vale Central Chileno.

Visitamos a cidade no meio do verão, contrariando o fluxo de turistas brasileiros que costumam optar pelo inverno em função da neve e das inúmeras estações de ski e snowboard. Passamos por dias secos e com temperatura média de 37 graus – suavizados pelos ventinhos frios que desciam das cordilheiras. Escurecia por volta de nove e meia da noite e tudo isso favoreceu muito nossas andanças.

fotos-2581

Panorama da cidade visto da piscina do nosso flat!

O espanhol é a língua oficial do país, mas nós não tivemos problemas com a comunicação. A cidade recebe muitos brasileiros e eles estão bem acostumados com nosso idioma. Fomos entendidos quase todo tempo falando em português e também entendemos quase tudo que foi dito em espanhol.

A moeda oficial do Chile é o peso chileno, você pode encontrar casas de câmbio aos montes pelas ruas. Também cruzamos por diversas agências do Itaú, do Santander e do Banco do Brasil, portanto saques internacionais são uma alternativa totalmente viável. Ainda falando de dinheiro, vá preparado pois consideramos o custo em geral tão alto quanto o de São Paulo 🙁 .

fotos-4467

O Palácio de La Moneda.

Santiago é limpa e organizada e os chilenos da capital são gentis e bem humorados, só perdem a paciência no transito e amam uma buzina. Se o semáforo fecha: buzinam, se passa alguém na frente: buzinam, se chove: buzinam… É buzinada para todo e qualquer motivo haha.

Notamos que um dos passatempos dos chilenos é, ao final da tarde, se reunir com amigos e familiares em um dos muitos parques que tem pela cidade e essa foi uma atividade que adotamos enquanto estivemos por lá. Além disso, toda aquela região reúne milhares de opções de turismo e lazer para todos os perfis, gostos e bolsos.

Não podemos deixar de mencionar uma curiosidade: vimos muitos cães pelas ruas, eles não tem donos mas são cuidados por todos, ganham comida dos moradores e possuem até casa própria nos parques.

fotos-4573

Sonho da casa própria para os cães de rua em Santiago.

Nossa percepção sobre a culinária local foi um fator negativo. As boas opções de restaurantes são caras e para os vegetarianos – como eu – faltam alternativas no cardápio. Não faltam porém, redes de fast food espalhadas por toda esquina.

Tenho uma recordação especial com relação a Santiago, em nenhuma outra viagem eu me senti mais “em casa” do que lá. Não sei explicar o motivo, talvez seja pela similaridade em relação a São Paulo respeitando as devidas proporções ou porque alugamos um flat (confira nesse post), mas era uma sensação de pertencimento muito especial. Em Santiago também passamos nosso primeiro Natal longe de nossas famílias, só nós dois o que foi triste e ao mesmo tempo especial, um momento só nosso 🙂 .

fotos-4421

Meio do caminho até o Valle Nevado (sem neve 😛 ).

Resumindo, em nosso balanço final adoramos muito nossa estadia. Planejamos de voltar e recomendamos muito a experiência para quem está pensando em visitar a cidade.

Ao longo da semana escreveremos mais sobre as atrações turísticas que visitamos, não perde não 🙂 .