Ao longo dessa semana vamos publicar os posts de nossa trip para o Uruguai e reviver essa viagem que foi bastante especial para nós dois por diversos motivos, mas especialmente pela combinação de dois fatores: essa foi nossa primeira viagem internacional juntos e essa também foi a primeiríssima experiência do Marcelo voando de avião!

Antes de começar, precisamos mencionar que o nosso vizinho é o segundo menor país da América do Sul e já pertenceu ao Império do Brasil até conquistar sua independência reconhecida em meados de 1828. Atualmente sob uma democracia constitucional é classificado como o país menos corrupto, um dos economicamente mais desenvolvidos e o primeiro em qualidade de vida e desenvolvimento humano na América Latina.

É possível chegar até lá por via terrestre através da divisa com o estado do Rio Grande do Sul, contudo diversas companhias áreas comercializam trechos diretos conectando São Paulo e Montevidéu em menos de três horas de voo. Foi via Gol, inclusive, que chegamos à capital Uruguaia para curtir uns dias de descanso.

Durante nossa estadia nos hospedamos na capital e locamos um carro para explorar a bela região de Punta Balleñas e o famoso balneário de Punta Del Este e destacamos as seguintes observações com base nas experiências que tivemos durante nossa visita em 2014:

Câmbio: Viajamos apenas com reais e encontramos com muita facilidade casas de câmbio por todos os lugares que andamos. Quase todos os grandes estabelecimentos também aceitavam o real e o dólar americano como forma de pagamento.

Segurança: Absurda a sensação de segurança que sentimos em todos os lugares, inclusive no centro. É sempre bom estar atento, mas de maneira geral achamos bem tranquilo. Para exemplificar, os bancos não possuíam detectores de metal, as casas de câmbio funcionavam até tarde da noite sem qualquer esquema de forte vigilância e fomos bastante surpreendidos pela funcionária da empresa locadora de carros que afirmou já ter ouvido falar de quebrarem o vidro do carro para roubarem os pertences ou o aparelho de som, mas para roubar o carro inteiro nunca (!).

Comida e bebida: Apesar de não ser referência mundial em gastronomia é possível comer e beber muito bem no Uruguai, desde que você não peça pizza hahaha. Provamos o famoso chivito (um sandubão cheio das coisas dentro), o doce de leite, o alfajor, a cerveja Patricia (que é mais apreciada pelos locais que a famosa Norteña) entre outros. Por fim, mas não menos importante, vale ressaltar a cultura do consumo de mate pelos uruguaios, eles carregam cuia, erva e garrafa térmica para TODOS os lados que vão e é fácil provar da bebida em qualquer estabelecimento.

Preços: Consideramos o Uruguai o país mais barato que visitamos na América Latina até agora. Hospedagem, mercado, restaurantes, ingressos de atrações turísticas, locação de veículo, serviços de taxi e transfer, tudo bastante acessível. Fazemos ressalva apenas para o preço do combustível, esse sim bastante inflacionado.

Simpatia: Fomos muito bem recebidos por todos os uruguaios, mesmo sem nenhuma habilidade no espanhol todos se mostraram pacientes ao tentarem entender e responder nossas perguntas (inclusive fazendo mimicas), isso contou muitos pontos.

Pois bem, esses foram apenas nossos comentários iniciais sob esse país pelo qual somos gratos e apaixonados. Nos próximos posts vamos contar um pouco mais sobre Montevidéu e a região praiana de Maldonado, aguardem 🙂 .

Não se esqueça de comentar aqui em baixo se tiver alguma pergunta sobre o Uruguai, quais suas impressões caso já tenha visitado o país e quais dicas você tem para quem está pensando em ir pra lá.