Para quem não sabe, Latam é a nova marca nascida da junção das gigantes Lan e Tam. Desde que a marca nacional foi adquirida pela operadora chilena que andávamos ansiosos para experimentar. Em maio voamos para Asunción via Latam e finalmente tivemos um gostinho dessa novidade. Já adianto que esse voo acabou sendo particularmente especial para mim.

Quarenta e oito horas antes do embarque fizemos nosso check-in pela internet exatamente igual fazíamos pela Tam ou Lan, no site atual só a comunicação visual da marca foi alterada, as funcionalidades continuaram as mesmas. No dia do embarque, tranquilamente despachamos a mala no guichê da Latam. Demos uma rápida passada rápida no Duty Free só para constar o óbvio (somos pobres mesmo) e seguimos para o embarque. Nosso portão era no andar inferior do GRU, o que significava uma voltinha rápida de ônibus pelo aeroporto. Seguimos assim até os pés de nossa aeronave.

O avião – desculpe nossa falta de atenção, pois não anotamos o modelo – parecia ter uns cem anos e ter servido na segunda guerra mundial. Ainda exibia o logo da TAM, tal qual o uniforme de toda tripulação, como se nada tivesse acontecido.

Depois de brigarmos pela janela, como de costume (e eu perder, como de costume), sentamos e atamos os cintos. Curioso é que pela primeira vez embarcamos em um voo onde metade dos passageiros eram funcionários da companhia, pilotos, copilotos, aeromoças e comissários de bordo, todos devidamente a caráter.

O avião centenário não tinha telas nos assentos, claro, mas fomos informados de que era possível acessar o aplicativo Latam Entertainment pelo Wi-Fi da aeronave e curtir as opções de vídeos e outros no nosso próprio celular. Esse aplicativo está disponível gratuitamente na Google Play e na Apple Store, mas não é possível baixa-lo usando o Wi-Fi a bordo, portanto sugerimos que faça o download antes de sua viagem e não usando seus dados móveis como nós tivemos que fazer.

Tudo pronto, decolamos e então começou o drama – digo o “meu” drama e abro uns parênteses aqui porque nós saímos de uma festa direto para o aeroporto e a combinação de bebida mais poltrona de avião caiu como um calmante natural para o Marcelo, que dormiu profundamente o voo inteiro (coisa que até esse dia ele nunca, jamais, de modo algum havia feito). Passamos por uma área de intensa instabilidade. O serviço de bordo foi interrompido CINCO vezes em função da turbulência. Tudo tremia dentro daquela aeronave que não inspirava nenhuma confiança e a única coisa que me tranquilizava era o olhar de serenidade da tripulação de carona. Duas horas de desespero no ar e pousamos em Asunción, sãos e salvos (adivinha quem acordou nessa hora?).

Depois de voar Lan, voar Tam e voar Latam, podemos dizer que não vimos grandes novidades, eu particularmente fiquei até certo ponto desapontada. Para quem gosta de números, pagamos R$ 1.538,02 pelo trecho, ida e volta mais taxas para nós dois, direto pelo site da empresa. Em breve embarcaremos novamente pela companhia e voltamos para contar se nossas impressões mudaram ou não.