Ilha Grande é um dos paraísos naturais que você precisa colocar na sua lista de desejos, sério, que lugar maravilhoso! Nosso encontro com a ilha aconteceu de maneira inusitada, quando uma amiga nos sugeriu viajar com a equipe do Vai de Mochila, uma operadora de turismo low cost, comandada pela sua irmã. A proposta do empreendimento era (e ainda é) promover excursões curtas e com ótimo custo-benefício. Nunca tínhamos viajado de excursão até então e decidimos aproveitar a oportunidade para testar.

Adquirimos um pacote de feriado para Ilha Grande, que incluía: translado ida e volta em ônibus com seguro viagem; 03 diárias de hospedagem na Vila do Abraão com café da manhã; translado de barco para a ilha e 02 dias de passeio de escuna por: Lopes Mendes, Lagoa Azul, Pouso, Palmas, Saco do Céu, Freguesia de Santana, Feiticeira, Amor e Santo Antônio. Tudo isso nos custou R$ 455,00 por pessoa.

O ponto de encontro aconteceu em uma estação de metro em São Paulo, fácil para tudo mundo chegar, de lá partiríamos para uma viagem noturna até Angra dos Reis. De cara ficamos impressionada com a variedade de itens de viagem que cada um trazia consigo, coisas como: violão, pandeiro, caixas de isopor, tendas de praia, papagaio, elefante, enfim tudo. Grande parte dos viajantes já se conheciam de viagens anteriores então nos sentimos como estranhos dentro de uma grande família nesse primeiro contato.

Todo mundo dentro do ônibus, hora de partir. Estávamos cansados do longo dia de trabalho que tínhamos enfrentado e eu só queria dormir, mas o Marcelo, bom… O Marcelo é o Marcelo e ele não nega uma festa. O que naturalmente aconteceu foi que o ônibus se dividiu em duas partes: a da frente, onde os idosos (tipo eu) pretendiam dormir e o fundão onde ninguém queria saber de dormir, só tocar, cantar e beber (tipo o Marcelo). Não sei bem o que aconteceu no tempo e espaço entre São Paulo e Angra dos Reis porque desmaiei, mas quando acordei a galera que estava animada na noite anterior continuava animada às seis da manhã, horário em que chegamos ao porto de onde embarcaríamos para a ilha.

Fotos (469)

Em Angra, depois de uma noite inteira sem dormir.

Navegamos de Angra até Ilha Grande, um trajeto lindo que passou ao lado de uma refinaria e perto da badalada casa de praia de Luciano Huck e Angélica (quem tem dinheiro constrói até em área de preservação ambiental no Brasil, triste, mas verdadeiro). Ancoramos e o que vimos foi uma avenida beira-mar, repleta de lindos restaurantes e lojas, o céu estava aberto, as ondas chegavam à margem calmamente. Foi amor à primeira vista.

Deixamos as malas no hotel e já partimos de barco para a praia Lopes Mendes. Com a areia é clara e fofa é coisa surreal de ver. Deixamos Lopes Mendes para um almoço tardio, próximo a um mangue de onde a família dona do estabelecimento obtinha ingredientes frescos para os pratos. No fim de tarde voltamos para o hotel e desfrutamos dos arredores.

Conhecemos em Vila Abraão um mato-grossense e sua esposa que largaram tudo para vender churrasco na ilha. Eles estavam felizes, era evidente, pagavam com alegria o preço da escolha que fizeram já que a vida em uma ilha poder ser bastante interessante, mas também bastante desafiadora. Contaram-nos que até as compras para o negócio eram feitas atravessando de barco até Angra. Colaboramos, jantamos espetinhos (eu fiquei com queijo coalho e pão de alho) com molho especial do chefe.

Novo dia e barco novamente, dessa vez com destino a Lagoa Azul que é uma piscina natural adequada para pratica de flutuação e snorkel. Coisa mais linda do mundo de ser ver e um dos lugares que você não pode perder se tiver oportunidade de conhecer Ilha Grande. Depois da lagoa nos revezamos em algumas outras praias da região e voltamos no fim do dia, extasiados com a beleza natural da região. No ultimo dia, tempo livre para que cada um aproveitasse como quisesse até a hora da partida logo após o almoço.

Sobre a viagem em galera temos a dizer que vale muito a pena, adoramos conhecer pessoas novas e até o final da viagem, nós que chegamos com o sentimento de estranhos no ninho já éramos da família. Não existe baixo astral, sempre tem alguém cantando, alguém contanto piada, alguém agitando, impossível fica para baixo, fora que em grupo tudo sai mais barato.

Fotos (6539)

Valeu galera 🙂

Ilha Grande é uma coisa linda de ver e viver. Consegue manter sua essência e encantar os turistas (muito gringos inclusive) com suas belezas e com a cor do seu mar. Tem uma atmosfera calma e faz parecer desnecessário ter um relógio, tudo segue o ritmo do mar e tudo funciona muito bem nessa simplicidade. É possível viver ótimos momentos seja durante o dia explorando as praias ou durante a noite frequentando um dos muitos bares e restaurantes que existem por lá. Sem dúvida deixamos um pedação do nosso coração.

E você, já esteve na ilha ou tem vontade de visitar? Conta pra gente 🙂 .